Paz nas famílias

Hoje estamos felizes por nos comunicarmos por vários meios.

Todos sabem( aqueles que acreditam na imortalidade da alma) que busco continuar nesse caminho como padre além-túmulo.Dizer que estou vivo já o fiz.Dizer que estamos em comunhão de esperanças também. Que a Revolução pelo Amor é possível, que há possibilidade de construirmos a paz neste nosso Planeta Terra.

Sinto-me irmão universal com todos e peço que dediquem um tempo ao estudo. Quando abrimos o nosso entendimento ou a nossa intenção em aprimorarmo-nos, coisas maravilhosas acontecem.

O que posso dizer é que lembrem-se de Mara Santíssima: guardava todas as belas coisas em seu coração. Este mesmo coração que conheceu a plenitude das alegrias e dores. Ela sabe que guardar não é ser egoísta, mas pôr em prática algo louvável.

Guardou o amor dentro de si e este amor irradia-se pelos confins do Universo e está ao nosso alcance.

Mãe santa,

Mãe dadivosa,

Mãe de Jesus,

Mãezinha do coração,

Não deixe que desfaleçamos

à beira do caminho.

Mas, faz-nos como o Samaritano

que com bravura e respaldo

amoroso do Pai soube ser

a diferença num mundo

injusto, violento e desumano.

A humanidade precisa de seu coação, Nossa Senhora!

Precisamos de sua luz de ternura e de sua voz a nos dizer:

“-Faça-se como meu Filho diz!”

Helder Camara

 

A paz em nossos corações

Hoje lembro com carinho de todos os irmãos do sacerdócio que dedicaram suas vidas na Irmandade Franciscana. Desejo a todos a paz!

Quão doce é poder ver na figura da mãe de Jesus Cristo a nossa mãe também.

Como membros da Ordem dos Frades Menores somos filhos de um mesmo pai pequenino aqui na terra, o frei Francisco.

Aquele mesmo que via a vida de uma forma diferente. Apesar de ter um sentido de justiça e equidade que até hoje a muitos espanta e assombra.

Fazer a vontade do Pai-Deus. Esta foi a missão do nosso Pai-Francisco.

E qual será a nossa missão como religiosos, filhos deste mesmo Pai para que sua Vontade seja feita?

Um pai com coração de mãe, assim foi o Pobrezinho de Assis.

Não precisa muito para ser um frade, nem tanto mais para ser cristão. Basta amar e seguir a vontade do Pai.

Mas, ah! Quantos se perdem no caminho à procura de facilidades terrenas!

Casar com a pobreza foi um caminho para demonstrar a todos que há algo mais. Existe a vida no espírito e que a cada vivência terena o ser manifesta seus dons , e o que precisa melhorar.

Francisco destelhou o edifício de nosso orgulho. Desfez o cesto de nosso egoísmo, desnudou a nossa ignorância e cobriu a vergonha da opulência com seu exemplo magnífico.

“- Olhai os lírios dos campos”…, dizia o Mestre Nazareno.

E nós, o que estamos a olhar para cima, para o céu?

Há muita coisa a se modificar no âmago de si mesmo.

Há muito a fazer pelo bem da nossa Nação, Pátria do Evangelho!

Ontem, fomos coração do mundo. Demonstramos como é doce a vitória bem vivida, assumindo o que se é. ( Jogo do Brasil e Alemanha no Maracanã)

Somos estes seres sonhadores como bem cantamos nestes dias. ( de Olimpíadas)

Brasil: um sonho intenso, um raio vívido de amor e de esperança à Terra desce.

A vitória sobre a morte já está conquistada pelo Cristo. Agora, é sermos os exemplos vívidos do Amor de Deus -Pai.

Helder Camara

 

Um rei indigente

Hoje é o dia dedicado à divindade. Muitos hão de protestar que se lembram do Pai-Criador sempre. Porque a Deus devemos este amor e louvação eternos.

Na vida do espírito também louvamos a Deus pela vida e por todas as vivências pelas quais passamos.

Fato é que o ‘Filho de Deus’ Jesus Cristo já foi entronizado nos templos. Coroado como Rei do Universo. E, contudo, continua desconhecido e invisível debaixo de marquizes, preterido nos assuntos governamentais quando se discute sobre saúde, educação, segurança.

Quando caminhava encarnado sobre esta terra, lá na Palestina de hoje Ele dizia: -“Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em plenitude.”( Jo 10,10)

Sim! Há desigualdade na distribuição das riquezas materiais. porém, não há desigualdade no que se refere à magnanimidade deste Rei por nos coroado. Jesus, o Filho de Deus e Filho de José, o carpinteiro de Nazaré sabia do valor da vida e que a realidade é muito mais ampla do que os nossos olhos carnais podem vislumbrar.

Há o desejo de ver a deus quando esta vida na carne cessar.

Para viver bem deste lado de cá, há que iniciar realizando encontros periódicos como o nosso Mestre Jesus. Ele anda travestido, disfarçado em faminto, em detento de cadeia, em doente de hospital, em indigente maltrapilho das ruas.

Ele mesmo, o nosso Irmão Maior, o Governador do Planeta e quiçá de muitos sistemas estelares está aqui a cobrar a tarefa de casa da cada um de nós: serví-lo na figura do necessitado.

Daí poderemos passar para o próximo ponto que seja a humildade de nos reconhecermos na primeira infância de aprendizado n quesito do que seja amar em Espírito e Verdade.

Cá estou eu a apontar pequenas faíscas do amor de Deus que vem chamusqueando alguns.

Com o carinho do

Helder Camara

coração ardente

“Olha o fogo queimando as pontas do meu chapéu”

As festas juninas são oportunidade única para a confraternização das pessoas que procuram paz e momentos de exaltação de uma cultura que acrescenta valores de aprendizado positivos.

“Tu que canta pelo mundo

onde anda meu amor, Sabiá?

O amor, a dança, a comida, a união de povos e classes sociais no anseio de um mundo renovado, colorido, cheio de arte e criatividade.

Hoje quero destacar a dança de roda .

1106489_718085093

O sentimento alimenta os corações.

Queridos irmãos: Façamos jus ao nome de cristãos e façamos deste tempo de encontros ao luar, ao redor de uma fogueira ou de pátios cuidadosamente preparados para a festa, um tempo de afeto sincero de irmandade e bons propósitos.

Pois, a vivência do Evangelho é o  mais importante para aquele que crê em Deus.

Paz

Helder Camara

*****

De mãos dadas

A alegria de estar neste mundo é imensa. Na época de festejos juninos , então, é uma dádiva! Mesmo em espírito sinto-me de mãos dadas com vocês a visitar os irmãos de caminhada – que são muitos.

Esta visita não precisa ser séria e cheia de protocolos. Pode ser espontânea e alegre, como somos nós os brasileiros.

Ainda hoje lembro a casa um que está lendo estas pequenas reflexões que a matéria é importante para a vida no corpo físico, porém, a vida verdadeira reside no espírito. E é em Espírito que realmente adoramos o Pai em Verdade.

Em outra ocasião disse que abarcaria o mundo com a minha vontade de ser útil. Só que a Verdade, mesmo com toda vontade e intenção ainda não podemos abarcá-la. Mas podemos receber os raios benfazejos da realidade divina espalhando o bem-querer e o amor incondicional na forma de caridade e benevolência.

Festejemos sim com dança e muita alegria. e lembremos dos que sofrem e padecem neste orbi como todos um dia vivenciamos esta realidade e retornamos ao plano da espiritualidade para de novo abarcarmos mais um pouco do que signifique viver.

O Pai das misericórdias nos dê sua bênção e com ela vivamos na Paz que Jesus nos traz!

Helder Camara

*****

 

O passo acertado

Muitos dias vão se passando e a cada hora nos aproximamos mais e mais da esperança que nos anima.

Tempo de alegria e de paz está a nos aguardar no porvir.

Como ter esta certeza?

Ora, basta observar as pequenas criaturas de Deus.

Quantas pessoas observam os astros  e as nuvens para saber como será o tempo. Outras observam os insetos. Aranhas com suas teias, a paquinha quando desentoca. A formiga carregando alimento para o formigueiro.

São indícios de chuva, tempo frio, seca e assim por diante.

Como criaturas pressentem os tempos e nós não?

Com a sabedoria que nos proporciona o criador nós poderíamos ao menos sair de casa precavidos duma mudança repentina.

Os ventos sopram onde quer Deus. Não sabemos de onde vem nem para onde vai. Traz algo de si e leva algo de nós com ele.

Hoje escrevo para comentar sobre decisão e intenção. Com uma singela florzinha deste franciscano de espírito e coração.

A formiga travessa

No dia estipulado houve uma reunião das formigas. Tudo estava preparado. Todas já haviam frequentado o curso intensivo do momento: como abastecer o formigueiro em dez passos principais.

Agora era o momento de traçar  as diretrizes anuais. Uma a uma iam recebendo sua ordenação da formiga chefe. Menos a mirradinha Florência. Esta tinha um defeitinho. Seus ‘bracinhos’ mal suportavam o peso do corpo. Que tragédia! Uma vida percorrida, curso feito e nada de missão.

Então, chamaram a pobrezinha para um canto e assim disseram:

“-Querida filha, tu tens um trabalho diferenciado do comum das tuas companheiras. Suportas pouco peso nos teus membros, mas na esfera das formigas cada uma tem seu valor. Sabendo da tua importância, lembramos de consultar a formiga rainha qual seria sua tarefa. Ela disse que hoje dormirá um lindo sono e em breve receberá asas.Tu serás uma formiga alada. Sobrevoará o formigueiro. Estarás a contemplar o mundo de forma diferenciada.”

Esta Florência não cabia de felicidade. Já ouvira dizer das tais formigas voadoras, mas acostumada a olhar só para seu problema, mal intuía que ela própria tinha latente a solução.

Vez ou outra vemos uma formiga voejando. Agradecemos ao criador por não botar asas em escorpiões e outros insetos que nos apavorariam.

Florência como formiga livre e feliz veio voando me contar que quando se quer ajudar, asas não hão de faltar.

Faça hoje mesmo a livre decisão.

Onde há coração e intenção no bem, aí está Deus a nos auxiliar em realizá-lo.

Helder Camaraformiga

 

Abotoando o paletó

A vida futura inicia já na nossa encarnação. Com a vinda de Jesus ao mundo tudo ficou mais esclarecido. Digo no sentido de que Jesus veio para tirar-nos todos das trevas da ignorância.

Veio para elevar-nos como humanidade. E até hoje não parou.

Jesus estando encarnado nos seus poucos e jovens anos na Terra conversou muito, andou um bocado, desejou muita paz que na sua linguagem de judeu era Shalom.

Mas, destaco o diálogo de Jesus com o Pai-Criador, a intimidade com Deus.

No Tabor Ele destacou as figuras emblemáticas da fé e revelou uma luz nunca dantes vislumbrada. Até hoje este episódio causa em nós profundo respeito e admiração. Jesus conversava com os mortos estando encarnado. E, para dizer a verdade seguir Jesus hoje é assumir o dom do ‘Tabor’.

Um dizer coloquial cita o bater as botas e abotoar o paletó como quem já morreu.

Eu já estou aqui de batina abotoada, já vesti paletó verde. Agora quero partir para conversar com Deus como Jesus fazia.

A vida futura nos pertence. Já parou para pensar na sua morada por aqui entre os espíritos?Onde será o seu pouso? Com quem gostaria de dialogar? Qual seria seu objetivo ao adentrar no plano extra-físico?

Como ver a Deus se não concebe conversar com os irmãos que já passaram pela tribulação e agora estão sob o Altar?

A luz de Jesus resplandeceu em sua Glória naquele dia à vista dos apóstolos.

Hoje ela se revela uma vez mais aos que creem em Cristo e desejam de coração viver como cristãos. Avante, povo de Deus.

Helder Camara

………………………………………………………………………………

Debruçar-se sobre algo importante

Quero dar os parabéns a quem sabe dedicar prioridade em sua vida ao amor e à alegria.

De todos os bens que angariamos sobre o Planeta terra, nada melhor do que levar a conquista de momentos apreendidos na alegria e no caminho amoroso.

Haja o que houver este recanto sublime de riquezas estará lá para ser acessado.

Paz! Que palavra magnífica ! Muitas vezes utilizada para fins que impedem toda a beleza de seu significado.

Paz não é imposição da lei. Paz não é a monarquia soberana.

Paz verdadeira tem sim um Príncipe sobre esta Terra. Está lá escrito no Evangelho de Lucas. Jesus é o Príncipe da Paz! A melhor notícia: A Boa Nova!

A Paz de Espírito é algo intrigante porque podemos já acrescentar em nossas vidas este Shalom divino! Comecemos então: você, eu e outro a cumular a todos com a paz verdadeira que brota dum coração súdito ao bom Deus!

Não temeremos revezes, nem tão pouco dificuldades! Que venha o dia tão esperado onde ouviremos a voz do Amado de nossas Almas a dizer da Paz tão esperada !

Helder Camara

Doença e remédio

Quem vem primeiro? O doente ou o médico? Fazendo alusão ao desafio de saber a origem das coisas se conjecturou o que haveria de sair do forno divino. Afinal, quem estreou primeiro a coluna das urgências foi o ovo ou a galinha? dependerá do ponto de vista do observador.

Todos sabemos sobre os animais que botam ovos;o ser humano tem também seu antecessor. Somos seres de luz, e antes disso viemos dum universo inteiro que se assemelha à um ovo de luz.

Preste bem atenção ao fitar o céu noturno estrelado. Ele é como uma mãe que está a cantar uma cantiga de ninar para quem o observa. Seus sonhos serão ternos e acalentadores.

Ora, como prever o que virá?Simples. Tudo será amoroso como o Criador! Como hoje sabemos.

Sem subterfúgios, responderemos à questão de que veio primeiro dizendo que : foi o Amor Divino.

Meus amigos, não queimemos os nossos mais preciosos esforços em questões que podem ser supérfluas.

A questão maior e foco de atenção do verdadeiro cristão deverá ser sempre o amor.

E olha que não me agrada colocar em uma só sentença tanta veemência juntando as palavras ‘dever’ e ‘sempre’ com amor.

Helder Camara

…………………………………………………………………..

A busca por inspiração

Olhando para o tempo avistei nesta tarde três pombinhos a brincar e ciscar o chão da praça.

Estava como de costume com minhas migalhas de pão como soía distribuir em dia de domingo.

Olhava para aquelas aves todas despreocupadas e ficava a pensar no significado do que seria a pomba da paz.

Que paz a pomba do tempo de Noé trouxe para os homens daquela época? Que haveria esperança porque existia terra próxima?

O que pomba e ramo de oliveira significariam para a humanidade de agora? Água a vista?

Porque, cá entre nós, hoje nos preocupamos com ruas alagadas e canos secos…

E estas três palomas? Que responderiam sobre paz para o leitor? Seriam  as três Américas? Representariam a Liberdade, Igualdade, Fraternidade? Ou a trindade gritando em alto e bom som:  “-Lembrem do Espírito que os anima!”

Ou seriam somente pássaros a bicar de nossa bondade a ração diária. E seríamos nós os mensageiros para os emplumados dizendo que a comida chegou.

Brincadeiras a parte, quero agradecer a Deus por sonhar com a liberdade. Por ver ainda que em gémem a novidade acontecendo como milagre inesperado.

Mas, não! Estes sinais da natureza são eloquentes: “-Não desanime! A cada dia o Senhor nos protege com suas asas!”

Para mim não seriam  asas de águia, mas asas de ‘pombinhas do bando’, aquelas que vêem naturalmente fazer seu ninho bem a nossa vista. Despreocupadamente vem com ramos e fios desajeitados tecendo um amparo para os futuros habitantes…

Assim somos. Dependentes de asas, ninho, esperança, sinais.

Certa vez o Apóstolo João teve uma visão. E dela partiu a Gênese de um outro mundo revelado no ‘Apocalipse’.

“Vi um novo céu e um a nova terra…”

Anciãos, Trono, Selo, Cavaleiros, Anjos, Cordeiro, Mulher… São muitas as figuras.

Há cânticos sonoros e iluminados.

-Amém! Exclamam. -Aleluia! Entoam.

Que haverá nesta Nova Jerusalém?

O Senhor Reina, com certeza.

A Esposa torce para o marido chegar. Mas, Ele nunca partiu.

Todos estamos neste mundo graças a Deus e quando dizemos que venha seu Reino, queremos que este Reino esteja vigorando em nosso ser. Somos do Espírito.

Helder Camarapax villas

Uberaba, 10 de abril de 2016.

Colocar algo positivo

Acrescentar algo que fomente a evolução humana é muito simples. Nós, como espíritos também trabalhamos e aqui estamos para dar a nossa contribuição conforme podemos. Ora, já se acaba uma terça-feira e há muito ainda que percorrer nesta a que chamam semana santa.

Logo inicia-se de um lado preparativos religiosos de reflexão e introspecção. Do outro, assoma-se a intenção comercial de vender ovos de chocolate.

“-Assegure uma feliz páscoa! Tenha a oportunidade de comprar!”… Assim muitos tem o sustento por meio do trabalho árduo em transformar um fruto amargo em doce de domingo.

Tanto de um lado como de outro pode haver uma mudança de paradigma, afinal o Cristo pouco aparece na sua forma de Espírito que dá vida. Assim Ele disse:“-Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida.” João 14,6. Alguém ousa contestar?

A figura do ovo é emblemática, mas hoje quero destacar a imagem da uva. Com ela se faz o vinho. Este mesmo que Jesus usou naquela janta em que abriu seu coração e todos da mesa puderam conversar com Ele e receber em forma de comida e bebida um alimento espiritual.

Jesus Cristo como Mestre ensinou que a forma simples concentra o poderoso símbolo. Daí, cear juntos é sinal de proximidade e afeição. Para ser servido, o vinho passa por um processo de fabricação desenvolvido pelo ser humano de fermentar o fruto da videira. Muito apreciado desde a antiguidade, diziam que era bebida espirituosa. Pois tirava da planta algo que maravilhava quem provasse.

Hoje, muitos exageram na bebida e bebem desregradamente prejudicando a si e aos demais. Mas, voltando às uvas, para tornarem-se bebida elas se oferecem pacificamente para serem pisadas, esmagadas. E, de seu suco nasce o sangue da alegria. Ora, os cristãos bebemos o sangue da uva em momentos de comunhão lembrando do Mandamento do Amor. Ah! Amor que o Cristo soube exemplificar e que continua a ser novidade!

Neste ano de 2016 passamos por bons bocados. Muitos brasileiros continuam a sentirem-se oprimidos mas nem por isto a vida cessará. Do caldo grosso, depois de fermentado e bem tratado surgirá um belo licor vivificante.

Agora, cabe a cada um que quer ter um copinho deste suco celeste que seja um odre novo! Para vinho novo, um novo recipiente. Ou vamos desperdiçar todo esforço anterior? Não! Nada disso! Vamos saber morrer com o Cristo e com Ele ressurgir! Vida e esperança neste chão!

Helder Camara

***********************************************

A boa notícia!

Hoje é Páscoa! Tempo de alegria e agradecimento por todo bem que Deus nos dá.

Já diz a fase que conclama ao gesto de retribuição amorosa: gentileza gera gentileza. A alegria está contagiante em nossa vida. E mesmo em meio a dificuldades podemos fazer diferentemente todos os nossos deveres.

Podemos criar maneiras de traduzir a gratidão que sentimos a Deus, a Jesus Cristo, a Maria de Nazaré, à nossa família. Como?

Sendo novas criaturas. Queremos alavancar nossa existência, e com isto transcender. É possível deixar transparecer a juventude num antigo ser.

Bom, Páscoa é Vida Nova. E eu estou aqui novíssimo em folha.

Mesmo  que por aparência tenha rugas e não me encontre com semblante distinto do que tinha quando encarnado.

Desinchei dos adoecimentos e necessidades próprios da condição física e aceito a realidade espiritual com sua imensidão.

Ah! Que alegria ser! Que alegria poder abarcar o mundo com os braços! Agora posso! Sinto um pouco do que o Cristo descrevia com sua comparação quando dizia que gostaria de achegar Jerusalém como a galinha coloca debaixo de suas asas os seus filhotes.Pois, bem! Neste dia como nos que se seguirão, peço: a paz aos seus corações.

Que nas celebrações festivas de hoje e das que se seguirão em sua vida resplandeça este desejo tão humano e tão divino  do acalento, da suavidade em família, da generosidade.

Helder Camara

27/03/16

***********************************************

A nossa seleção

Em breve começará os jogos olímpicos.

Eu, como outras pessoas achamos o símbolo da tocha olímpica uma forma de união e convocatória à boa ação.

Na antiguidade os heróis faziam de um tudo para ter a boa sorte ao seu lado. E, assim, ter a fortuna de uma boa morte. Parece um contra-senso reunir a sorte e a morte. Afinal, para quê a vida?

Os antigos sabiam que sorte nesta vida é perseverar em elevados ideais, benfazejos e salutares. No Berço da Democracia aprendemos que os heróis lutavam pelo bem comum. E a morte coroava uma vida dedicada nesta intenção.

Mas, o quê? Seria melhor o egoísmo, o orgulho ufanista! Uma vida por glória!…

Mas, a glória não está neste mundo. Glória e vitória se alcançam na perenidade da eternidade.

E, é lá que ela vinga.

Interessante que utilizamos a palavra vingar, quando algo que se quer muito acontece.  Também dizemos da criança quando nasce. Foi um bebê que vingou. Ora, a nossa vingança, se assim podemos chamar,que seja o perdão.

Um ser democrático sabe o valor do perdão.

Um coração leve será aquele capaz de libertar-se perdoando.

O Brasil, muitos dizem, e com propriedade- tem sina de ser o Coração do Mundo. Assim é, assim será. Que seja coração valoroso e leve a perdoar e seguir adiante.

Brasil solar a indicar a boa sorte e, sabendo da honra e glória do Mestre Jesus Cristo, levará ao Orbe o entendimento do que seja Vitória!

A Paz!

Helder Camara

O meu Currículo

Estando desempregado o jovem Paulo foi à procura de um trabalho.

Andou pela vizinhança para saber de alguma vaga. Todos pediam seu currículo:

“- Deixe seu currículo…Traga seu currículo.”

Qual a importância de um currículo? A formação acadêmica? A experiência? O roll de referências?

É certo que este moço há de se destacar por onde passar. Sua força de vontade aliada a uma vida honesta e honrada serão seu escudo e estandarte pelos caminhos que desbravar.

Em nossa vida como espíritos libertos da carne a nossa intenção valerá muito. Não necessitamos tão pouco de ‘boa aparência’ ou ‘quem indicou’.

Será necessário pesar o ‘coração’.

Não como o revela no plano físico, mas como aprendeu e pôs em prática o amor a si e aos demais – seus irmãos.

Para quem pede o meu currículo quando adentro recintos que recebem entidades desencarnadas eu fico a lembrar do Paulo e suas andanças.

Para estes eu digo que sou artesão, vivi a trabalhar com as mãos e com o coração.

Alguns me recebem, outros dizem para eu deixar uma referência. Daí desenho uma flor. Aquela já nossa conhecida. Alguns exclamam: “-Ah! Tão comum.”

E eu penso cá comigo: “- A flor continua sem defesa!”

Helder Camara0049-fotos-fotos-desenhos-infantis-04fda8 (2)

Refresco da festa

Bom dia para todos que como eu estão festejando este tempo de final de um ano e início de outro.

Nestes tempos lembramos dos comes e bebes. Cada povo, cultura, região gosta de celebrar de uma maneira.

Em todo lugar há os refrescos, afinal, faça frio ou calor a bebida servida numa confraternização faz com que todos gravitem em torno daquela intenção.

Não precisamos ir longe. Veja como é bonito ver a mãe alimentando o seu bebê. Que carinho, que amor, que doação.

Depois vemos as festas infantis com seus costumes próprios.

Houve  época em que a alegria era ter um copo d’água. Uma gota de água…

Mas conforme disse no título a festa é de encerramento e também de início.

Neste verão, não se esqueçam de colocar no papel as suas metas, propósitos que vem alimentando durante um tempo. Onde pretende chegar?

Jesus se intitulou Vinho Novo. A alegria da festa. Com certeza o é. Muito espirituoso, o Cristo veio mostrar-nos o Novo misturado ao velho. Basta experimentar a novidade trazida por Ele em seu Evangelho.

Achará interessante ao revirar no baú das conquistas e aprendizados, como encontrará novidades em meio a relíquias.

Dentro desta linha de pensamento, durante a revisão de seu dia nestes tempos de virada de ano, lembre-se de pensar nas coisas do espírito como ensina o Jovem Mestre de Nazaré.

A Sabedoria convida a que nos acheguemos a Ela pois tem comida e bebida de graça a quem souber responder ao seu chamado.

Paz!

Helder Camara